Quem sou eu

Minha foto
Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil
Sou escritora desde os onze anos de idade.Meu primeiro livro publicado é "Soltando as Amarras", poesias num misto de romance, auto ajuda, homenagens e quebra de paradigmas.Escrevo vários gêneros literários. Tenho outros livros prontos para publicação, inclusive infantis. Creio que tenho por missão transmitir ao meu semelhante através de meus textos palavras edificantes e que causem impacto é uma fé imensa na vida e na humanidade. Fazer feliz as pessoas é meu maior prazer. Faço parte da Leia/JF, Liga de escritores, autores e ilustradores de Juiz de Fora. Sou da Academia de Letras Joaquim Osório Duque Estrada no município de Paty do Alferes onde residi por trinta e cinco anos. A vida é um belo presente.

domingo, 13 de novembro de 2011

Cumplicidade





Cumplicidade é amar intensamente e dedicar-se sem reclamar ao ser amado.
Esse é o sentimento mais puro que existe ! Temos que sentir a vibração do ente querido, ler seus pensamentos  e anteciparmo-nos antes que sejamos solicitados a fazer algo. Nossa existência é pautada por momentos de alegria, outros de muito trabalho, outros de lazer e outros de enfermidades. As enfermidades nos trazem uma gama de lições. Nas horas de aflição temos exatamente a noção do quanto amamos e esse amor transforma-se em forças inimagináveis. Essas forças são capazes de revelar-nos atitudes que achávamos antes do acontecido,  que não teríamos coragem para enfrentar. Todavia, é ali mesmo, naquela hora que nos surpreendemos com tanta dedicação, paciência e coragem para ao outro aliviarmos. Quando nos é dada essa valiosa oportunidade ( a de redescobrirmos em nós tantos sentimentos ) devemos agradecer a DEUS. Nada acontece por acaso. Nenhuma folha se desprende de uma árvore sem a permissão do PAI Celestial. E vamos aceitando, lutando , porque nada é para sempre e orando. Nossa fé será alimentada e atingirá aos Céus com tanta emoção que certamente seremos atendidos. A vontade de Deus será feita. Porém nossa confiança deverá ser demonstrada a cada ato, a cada palavra proferida.
Aguardaremos o fim do dilúvio na paz, plenos de amor e resignação, mas jamais duvidando e revoltando-nos.
Eu e meu amado estamos mais do que antes unidos na luta contra esse câncer.

Denise Vieira Doro
Ocorreu um erro neste gadget

Meus netos

Meus netos
Dia 18 de junho de 2010

Arquivo do blog