Quem sou eu

Minha foto
Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil
Uma mulher guerreira, romântica, amante de música e tudo que envolve cultura e artes. Pedagoga, poetisa, escritora de fatos da vida e de sentimentos envolventes na vida de todos nós. Amo crianças, respeito e venero as pessoas idosas, luto pelo fim de todo e qualquer preconceito.Oro pela cura de doenças como o câncer, a Aids entre outras...Sou viúva de um homem maravilhoso,me fez feliz por quase quarenta anos, mãe de três filhos e possuo seis lindos netos. Tenho amigos valiosos e acredito que a Educação é a arma para Transformar nosso Planeta num lugar onde o Respeito e o Amor sejam constantes.Escrevo desde os onze anos de idade.Meu primeiro livro publicado é "Soltando as Amarras", poesias num misto de romance, auto ajuda, homenagens e quebra de paradigmas.Escrevo vários gêneros literários. Tenho outros livros prontos para publicação, inclusive infantis. Creio que tenho por missão transmitir ao meu semelhante algo que possa beneficiá-lo . Fazer feliz as pessoas é meu maior prazer.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

O convite ao amado


Sinto um vazio no peito, algo inquieta meus sentimentos, sei que vivemos doces momentos. Noites alegres nos envolvendo, roupas no chão, beijos ardentes e num completo êxtase nos amávamos. E o tempo foi passando, as carícias no início aumentando, surgiram novas maneiras de fazer amor e quanto isso trouxe-nos felicidade. A sintonia dos corpos era como uma dança, onde não se errava um só passo. E o prazer a cada dia ficou mais intenso... Mais qualidade atingíamos em cada união. Fomos feitos um para o outro. Corpos perfeitos, encaixe total, química sem igual. Um dia comecei a perceber que algo acontecera... Já não tínhamos a mesma atração. Essa foi apagando como uma vela quando chega ao fim...

Começamos a criar desculpas para o encontro não acontecer. E o distanciamento esfriou o que nos aqueceu durante alguns anos. Decidimos em comum acordo uma separação, não de casas  e sim de corpos. Essa despedida foi dolorosa, pois quando ocorreu e ficamos sem nos tocar, pude ver o quanto sinto falta de você.

Volte pra mim, retorne ao nosso amor, porque ele existe, somente ficou adormecido por uns dias! Ouvia do meu quarto seu choro e chorava também, relembrando tudo que vivemos de bom e com saudades clamava por seu nome baixinho. Estou a sua espera. Basta entrares em meu quarto que atirar-me-ei em seus braços fortes, e beijarei a boca que me saciou tantas vezes e da qual e jamais deveria ter me separado.



Denise Vieira Doro
Ocorreu um erro neste gadget

Meus netos

Meus netos
Dia 18 de junho de 2010

Arquivo do blog