Quem sou eu

Minha foto
Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil
Sou escritora desde os onze anos de idade.Meu primeiro livro publicado é "Soltando as Amarras", poesias num misto de romance, auto ajuda, homenagens e quebra de paradigmas.Escrevo vários gêneros literários. Tenho outros livros prontos para publicação, inclusive infantis. Creio que tenho por missão transmitir ao meu semelhante através de meus textos palavras edificantes e que causem impacto é uma fé imensa na vida e na humanidade. Fazer feliz as pessoas é meu maior prazer. Faço parte da Leia/JF, Liga de escritores, autores e ilustradores de Juiz de Fora. Sou da Academia de Letras Joaquim Osório Duque Estrada no município de Paty do Alferes onde residi por trinta e cinco anos. A vida é um belo presente.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

As crises de água e luz




É deplorável que tenhamos que vivenciar um país atravessando o caos da falta de água e se não forem tomadas providências,de luz. Um país tão rico e tão mal governado. Um país onde o Meio Ambiente não é preservado, onde o povo não é conscientizado pelos danos que causa quando desvia do curso normal dos RECURSOS NATURAIS OU INTERVÉM NOS ECOSSISTEMAS.
Estamos diante de uma situação muito grave e os habitantes dessa nação não se conscientizaram suficientemente de tudo que estamos enfrentando.
Inflação descontrolada,  todos os impostos em alta, taxas extras para quem consome além do normal. Nada disso estaríamos enfrentando se desde que aconteceu a ECO 92 foram colocadas as medidas para preservar os recursos naturais entre outras e os países se comprometeram a tomar atitudes para que nosso Planeta tivesse num futuro melhores condições para sobrevivermos.
O desgoverno dos últimos anos propiciou uma mentalidade de egoísmo, porque ninguém quer economizar por conta da teoria: eu vou fazer, mas será que outros irão também colaborar?
E nesse vai e vem de opiniões e culpabilidades estamos diante de um país onde temos que sobreviver diante da inflação que rouba nosso poder de aquisição, alimentos mais caros, passagens e tantas taxas e sobretaxas tão altas com a desculpa de que assim sairemos dessa situação triste e vergonhosa.
Nos mercados temos que fazer mágica para adquirir tudo que necessitamos, cortar alguns alimentos, mudar nossos hábitos alimentares, pois nem sabemos o que teremos de despesas ao final de cada mês.
E resta-nos rezar  e agir a cada dia com mais cautela nos gastos porque tudo é imprevisível e o país cor-de-rosa pintado por nossa atual presidente não passa de um país cinza escuro, onde se vê poucas luzes para corrigirem tantos descalabros.

Denise Vieira Doro
Ocorreu um erro neste gadget

Meus netos

Meus netos
Dia 18 de junho de 2010

Arquivo do blog