Quem sou eu

Minha foto
Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil
Uma mulher guerreira, romântica, amante de música e tudo que envolve cultura e artes. Pedagoga, poetisa, escritora de fatos da vida e de sentimentos envolventes na vida de todos nós. Amo crianças, respeito e venero as pessoas idosas, luto pelo fim de todo e qualquer preconceito.Oro pela cura de doenças como o câncer, a Aids entre outras...Sou viúva de um homem maravilhoso,me fez feliz por quase quarenta anos, mãe de três filhos e possuo seis lindos netos. Tenho amigos valiosos e acredito que a Educação é a arma para Transformar nosso Planeta num lugar onde o Respeito e o Amor sejam constantes.Escrevo desde os onze anos de idade.Meu primeiro livro publicado é "Soltando as Amarras", poesias num misto de romance, auto ajuda, homenagens e quebra de paradigmas.Escrevo vários gêneros literários. Tenho outros livros prontos para publicação, inclusive infantis. Creio que tenho por missão transmitir ao meu semelhante algo que possa beneficiá-lo . Fazer feliz as pessoas é meu maior prazer.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

A ambição






Desde que o mundo existe a ambição é algo presente nos seres humanos.Uns possuem-na em maior proporção, outros em menor. A ambição desmedida passa por cima de todos os valores morais e sentimentos.Surpreende aos que não a possuem com tanta intensidade. Difícil de aceitar-se quando bem perto de nós e ultrapassando qualquer tipo de respeito. A pessoa ambiciosa nada vê a sua volta, quer tirar vantagem de tudo e de todos. Usa de qualquer artifício para enganar, convencer e afirma que realmente precisa muito daquilo que almeja. No entanto como diz um velho ditado..."caixão não tem gaveta", e nessa necessidade desenfreada de ter coisas materiais e dinheiro vai pisando e ferindo todos que por ela passarem. Algo podemos realmente constatar, poucos conseguem quando atingem o desejado mantê-lo. A maioria das pessoas assim, são consumidores compulsivos, gastam mais do que recebem e em pouco tempo veem-se novamente querendo mais e mais. É na verdade uma doença, e esta requer tratamento ou então a procura de uma religião para compreender que dinheiro não compra felicidade e quando se pisa nas pessoas para tal, termina-se muito mal.
Como trata-se de um distúrbio comportamental, vamos orar por essas pessoas . Um dia vão convencer-se de que estão passando dos limites e procurar ajuda. Conselhos não funcionam muito bem, pois ainda revoltam-se com os que se atrevem a fazê-lo.
Que Deus nos livre desse mal, porque não conhecemos ninguém que tenha terminado seus dias em plena felicidade após ter colocado seus interesses acima dos sentimentos.

Denise Vieira Doro

Ocorreu um erro neste gadget

Meus netos

Meus netos
Dia 18 de junho de 2010

Arquivo do blog