Quem sou eu

Minha foto
Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil
Uma mulher guerreira, romântica, amante de música e tudo que envolve cultura e artes. Pedagoga, poetisa, escritora de fatos da vida e de sentimentos envolventes na vida de todos nós. Amo crianças, respeito e venero as pessoas idosas, luto pelo fim de todo e qualquer preconceito.Oro pela cura de doenças como o câncer, a Aids entre outras...Sou viúva de um homem maravilhoso,me fez feliz por quase quarenta anos, mãe de três filhos e possuo seis lindos netos. Tenho amigos valiosos e acredito que a Educação é a arma para Transformar nosso Planeta num lugar onde o Respeito e o Amor sejam constantes.Escrevo desde os onze anos de idade.Meu primeiro livro publicado é "Soltando as Amarras", poesias num misto de romance, auto ajuda, homenagens e quebra de paradigmas.Escrevo vários gêneros literários. Tenho outros livros prontos para publicação, inclusive infantis. Creio que tenho por missão transmitir ao meu semelhante algo que possa beneficiá-lo . Fazer feliz as pessoas é meu maior prazer.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Até que a morte nos separe

Juramento feito a trinta e nove anos, onze meses e dez dias passados. Fizemos com a responsabilidade de todo casal quando está na cerimônia do casamento. E jamais pensei que teria que ser separada do meu amor pela morte. Não que eu pensasse que seríamos eternos e imortais. Porém jamais imaginei enfrentar a dor da separação ainda um pouco precoce( assim me expresso, pois somos relativamente novos) e tudo acabou em apenas trinta e um dias. Nosso amor foi de encomenda. Traçado no céu e realizado na Terra. Profetizado por meu falecido pai três anos antes de nos conhecermos. Meu primeiro namorado, eu tinha apenas quinze anos e você dezenove. Sonhos, planos tudo realizou-se e nesses anos todos ,sempre tivemos mais motivos para comemorar do que para chorar. Você partiu anteontem e a dor da separação é muito dilacerante. Nunca pensei que seria assim, sempre te amei, mas na perda vi que amei e amo muito mais do que imaginava. No período de sua enfermidade lutei com você e te encoragei para a vitória. Nunca imaginei que seria através da separação. E aqui presto minha última homenagem  ao Homem que conquistou-me pelo caráter ,  dignidade, carinho, e tantas outras virtudes que levaria muitas linhas à descrevê-las. Amor maior não há e dor igual também. Deus fortaleça minha fé para que eu supere e passe a relembrar tantos momentos de intensa felicidade que juntos vivemos!

Denise Vieira Doro
Ocorreu um erro neste gadget

Meus netos

Meus netos
Dia 18 de junho de 2010

Arquivo do blog