Quem sou eu

Minha foto
Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil
Uma mulher guerreira, romântica, amante de música e tudo que envolve cultura e artes. Pedagoga, poetisa, escritora de fatos da vida e de sentimentos envolventes na vida de todos nós. Amo crianças, respeito e venero as pessoas idosas, luto pelo fim de todo e qualquer preconceito.Oro pela cura de doenças como o câncer, a Aids entre outras...Sou viúva de um homem maravilhoso,me fez feliz por quase quarenta anos, mãe de três filhos e possuo seis lindos netos. Tenho amigos valiosos e acredito que a Educação é a arma para Transformar nosso Planeta num lugar onde o Respeito e o Amor sejam constantes.Escrevo desde os onze anos de idade.Meu primeiro livro publicado é "Soltando as Amarras", poesias num misto de romance, auto ajuda, homenagens e quebra de paradigmas.Escrevo vários gêneros literários. Tenho outros livros prontos para publicação, inclusive infantis. Creio que tenho por missão transmitir ao meu semelhante algo que possa beneficiá-lo . Fazer feliz as pessoas é meu maior prazer.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Homenagem a José Alencar.



Ontem o Brasil perdeu um homem excepcional! José Alencar, nosso estadista e pessoa de grande coragem e fé. De origem pobre, começou como comerciário em uma loja de tecidos e com trabalho e determinação chegou a ser proprietário de uma das maiores  empresas  de tecidos do país. Bem humorado, fazia graça até nas horas de dor e da doença. Sua fé inabalável deu-lhe uma vida prolongada contrariando as previsões médicas. José Alencar tornou-se um ícone de sobriedade, audácia ( mesmo no governo, nunca absteve-se de criticar o que não aceitava) e de guerreiro. Encarou de frente um câncer, submeteu-se a inúmeras cirurgias e mesmo debilitado não se deixava derrotar. Amou a vida. Amou e respeitou as vontades divinas. O que percebe-se é que sua família sempre foi de suma importância em suas atitudes. A união e o amor dos filhos e mulher foram de grande significado. Enfim esse Homem notável conseguiu arrancar lágrimas de meus olhos diversas vezes e ontem pela última vez. Saber de sua partida comoveu-me. Senti um vazio, como se fizesse parte de minha família. Mas, fazia parte sim,  da família de todos os brasileiros. Suas idas e vindas ao Hospital Sírio e Libanês eram tão frequentes que não nos assustavem mais. Parecia que ele era imortal. E é imortal, posto que jamais será esquecido. Sempre será lembrado por sua personalidade marcante, dignidade, coragem e fé. Descanse em Paz amigo!

Denise Vieira Doro

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Meus netos

Meus netos
Dia 18 de junho de 2010

Arquivo do blog