Quem sou eu

Minha foto
Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil
Sou escritora desde os onze anos de idade.Meu primeiro livro publicado é "Soltando as Amarras", poesias num misto de romance, auto ajuda, homenagens e quebra de paradigmas.Escrevo vários gêneros literários. Tenho outros livros prontos para publicação, inclusive infantis. Creio que tenho por missão transmitir ao meu semelhante através de meus textos palavras edificantes e que causem impacto é uma fé imensa na vida e na humanidade. Fazer feliz as pessoas é meu maior prazer. Faço parte da Leia/JF, Liga de escritores, autores e ilustradores de Juiz de Fora. Sou da Academia de Letras Joaquim Osório Duque Estrada no município de Paty do Alferes onde residi por trinta e cinco anos. A vida é um belo presente.

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Vida a dois









Sabemos o quanto é difícil manter-se uma vida a dois. Casamentos são desgastados pela rotina e acabam sendo desfeitos ou se vai empurrando por conveniências discutíveis, porém não julgadas. Conviver no dia a dia durante longos anos é indubitavelmente uma tarefa dificílima. O choque de educações diferenciadas é o primeiro problema, hábitos , manias e opiniões. A famosa toalha molhada em cima da cama ou  no chão banheiro já foi motivo de sérias discussões. A pasta de dentes cujo tubo é apertado de forma inadequada para seu aproveitamento idem, e aqui ficaria eu descrevendo tantas bobagens que geram desentendimentos e ás vezes até ofensas. No entanto nada é tão grave  como a mentira, a traição e a perda da confiança. Temos por educação que recebemos e que passou de geração em geração a ideia de que nada pode ser perdoado, principalmente a traição. Não estou aqui defendendo essa atitude, mas é algo muito pessoal e discutível, pois traição é também deixar de amar e fingir que ainda ama para não perder o status de casado (a), as mordomias ( se existirem). AS drogas são responsáveis por muitas separações e o vício do jogo. Tanto faz se é o homem  ou a mulher, o estrago é devastador. Geram brigas, agressões físicas entre outros males. E os filhos? Estes ficam no meio do fogo cruzado , sofrendo e aprendendo a serem violentos, pois o que vivenciam fica em suas mentes gravado para sempre. Nem todos os filhos de pais que brigam tornam-se violentos, todavia as marcas dos sofrimentos são irreversíveis. Hão de questionar-me: existe uma fórmula para a boa convivência e evitar-se brigas e desentendimentos por motivos banais? _ Não, desconheço a receita. Somente sei que a tolerância, o perdão, o AMOR podem ajudar de forma significativa a solucionar alguns desses casos aqui citados e orientar o casal na melhor maneira de viver a dois ou com seus filhos também sem permitir interferências de fora no seu relacionamento. Analisando as companhias e amizades que se possui, porque as influências maléficas destroem os relacionamentos e sendo assim, usando do diálogo franco e disposto a dar solução a tudo que no momento estiver destruindo algo que foi sonhado , realizado e acabou sendo desastroso porque permitimos.

Denise Vieira Doro

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Meus netos

Meus netos
Dia 18 de junho de 2010

Arquivo do blog