Quem sou eu

Minha foto
Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil
Uma mulher guerreira, romântica, amante de música e tudo que envolve cultura e artes. Pedagoga, poetisa, escritora de fatos da vida e de sentimentos envolventes na vida de todos nós. Amo crianças, respeito e venero as pessoas idosas, luto pelo fim de todo e qualquer preconceito.Oro pela cura de doenças como o câncer, a Aids entre outras...Sou viúva de um homem maravilhoso,me fez feliz por quase quarenta anos, mãe de três filhos e possuo seis lindos netos. Tenho amigos valiosos e acredito que a Educação é a arma para Transformar nosso Planeta num lugar onde o Respeito e o Amor sejam constantes.Escrevo desde os onze anos de idade.Meu primeiro livro publicado é "Soltando as Amarras", poesias num misto de romance, auto ajuda, homenagens e quebra de paradigmas.Escrevo vários gêneros literários. Tenho outros livros prontos para publicação, inclusive infantis. Creio que tenho por missão transmitir ao meu semelhante algo que possa beneficiá-lo . Fazer feliz as pessoas é meu maior prazer.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

A vida é como um livro

A vida é como um livro.

A vida se assemelha a um livro, cuja história começa no dia de nosso nascimento e, daí pra frente nossos atos e acontecimentos ficam marcados, isto é registrados. Todavia sem páginas palpáveis, fixam-se em nossa memória.
O mais interessante é que não pensamos nisso. Tomamos atitudes impensadas em alguns momentos e , mais tarde ao repassarmos as páginas, sentimos um certo arrependimento pelo que fizemos. Da mesma forma acontece quando deixamos de agir em horas em que tornar-se-ia imprescindível nossa participação. Perdemos muito tempo com coisas sem importância tais como:
_O que os outros pensam de mim?
_ Será que debocharam de mim?
E outras como, discussões, teimosia, intolerância, vaidade, orgulho, inveja, ambição e etc...
Quando o livro está quase no fim, paramos e recordamos de tudo que fizemos com muita pressa e, em inúmeras situações, se pudéssemos retroceder fatalmente teriam outro desfecho.
Porém, estamos com a idade avançada, nossa trajetória foi realizada , resta-nos pouco tempo.
A sabedoria que adquirimos durante a escrita do Livro, irá ajudar-nos a rever e inovar a forma de escrever nas páginas que finalizarão o mesmo. Naturalmente, com mais seriedade, tranqüilidade e tempo, se quisermos, poderemos dar para a história um final enriquecedor em todos os aspectos.

Denise Vieira

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Meus netos

Meus netos
Dia 18 de junho de 2010

Arquivo do blog