Quem sou eu

Minha foto
Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil
Uma mulher guerreira, romântica, amante de música e tudo que envolve cultura e artes. Pedagoga, poetisa, escritora de fatos da vida e de sentimentos envolventes na vida de todos nós. Amo crianças, respeito e venero as pessoas idosas, luto pelo fim de todo e qualquer preconceito.Oro pela cura de doenças como o câncer, a Aids entre outras...Sou viúva de um homem maravilhoso,me fez feliz por quase quarenta anos, mãe de três filhos e possuo seis lindos netos. Tenho amigos valiosos e acredito que a Educação é a arma para Transformar nosso Planeta num lugar onde o Respeito e o Amor sejam constantes.Escrevo desde os onze anos de idade.Meu primeiro livro publicado é "Soltando as Amarras", poesias num misto de romance, auto ajuda, homenagens e quebra de paradigmas.Escrevo vários gêneros literários. Tenho outros livros prontos para publicação, inclusive infantis. Creio que tenho por missão transmitir ao meu semelhante algo que possa beneficiá-lo . Fazer feliz as pessoas é meu maior prazer.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Aceitando as diferenças







Viemos a este mundo para usufruir de tudo que é bom e também passarmos por experiências não tanto agradáveis, mas que nos deixam incontáveis riquezas. Afinal, de tudo que nos ocorre sempre ficamos com algo surpreendente chamado maturidade. À medida que nos alegramos ficamos muito otimistas diante de tudo que nos envolve, no entanto quando aparecem problemas , nossa tendência é super-valorizarmos e consequentemente sofrermos. Será isso correto?
Deveríamos ter uma fé bem sólida e uma confiança inquestionável no SER Supremo que cremos existir e sendo assim digerirmos as influências maléficas que porventura ameaçam nossa paz de espírito. Nada dura para sempre ( já dizia Chico Xavier ) . Tudo passa e certamente o que é bom vai passar da mesma maneira o que é ruim.
Reflitamos sempre como se o problema não fosse nosso, não estivesse ali nos atormentando. Será que merece ser tão valorizado a ponto de nos deixar tristes, desesperançados e chorosos? Acredito que não. É difícil aceitarmos tudo que nos acontece, algumas vezes , mesmo sem querermos, desencadeamos tais situações. Oremos mais, confiemos mais, sejamos mais sensatos antes de falarmos, agirmos e demonstrarmos o que nos agrada ou desagrada. Não somos iguais, cada um de nós tem seus valores, seus defeitos e seu modo de pensar únicos. Tenhamos mais tranquilidade em cada dia vivido  para que não percamos a noção do que realmente nos ofendeu ( se permitirmos ) ou do que foi dito ou feito por pessoas que não tinham consciência de que estavam prejudicando outrem.

Denise Vieira Doro

Um comentário:

Van disse...

Oi Denise,

ótima esta sua reflexão.

a ideia de que tudo passa é uma grande aliada para enfrentarmos a vida com serenidade na adversidade e mão nos decepcionarmos demais quando as alegrias se forem.

Beijos

Ocorreu um erro neste gadget

Meus netos

Meus netos
Dia 18 de junho de 2010

Arquivo do blog