Quem sou eu

Minha foto
Juiz de Fora, Minas Gerais, Brazil
Uma mulher guerreira, romântica, amante de música e tudo que envolve cultura e artes. Pedagoga, poetisa, escritora de fatos da vida e de sentimentos envolventes na vida de todos nós. Amo crianças, respeito e venero as pessoas idosas, luto pelo fim de todo e qualquer preconceito.Oro pela cura de doenças como o câncer, a Aids entre outras...Sou viúva de um homem maravilhoso,me fez feliz por quase quarenta anos, mãe de três filhos e possuo seis lindos netos. Tenho amigos valiosos e acredito que a Educação é a arma para Transformar nosso Planeta num lugar onde o Respeito e o Amor sejam constantes.Escrevo desde os onze anos de idade.Meu primeiro livro publicado é "Soltando as Amarras", poesias num misto de romance, auto ajuda, homenagens e quebra de paradigmas.Escrevo vários gêneros literários. Tenho outros livros prontos para publicação, inclusive infantis. Creio que tenho por missão transmitir ao meu semelhante algo que possa beneficiá-lo . Fazer feliz as pessoas é meu maior prazer.

terça-feira, 7 de maio de 2013

A cegueira da alma



Existem fases em nossa vida em que a carência de atenção , carinho, toque , palavras é tamanha que ficamos cegos!
Mesmo que pessoas para as quais nada significamos estejam ali dando desprezo ,  nós acreditamos que gostam de nós.
E algumas criaturas ainda se divertem,no joguinho de fingimento vendo que o idiota ou a idiota está caidinha ou caidinho...
Quando estão conosco demonstram o que na verdade nunca sentiram e isso lhes faz muito bem. É o jogo do domínio. Da vaidade que leva a tais atitudes. Pensam que são os tais ou as tais. Enfim,  se acham...
Difícil é lidar com tal sentimento.
Isso ocorre quando somos muito sentimentais ou acreditamos em tudo que vemos ou ouvimos e infelizmente a vida não é assim.
Quem gosta dá atenção, conversa, se preocupa, demonstra que ama não só com palavras mas com gestos.
Quem ama quer seja amigo ou outro tipo de relacionamento, deseja estar perto e quando longe telefona, se interessa por saber notícias.
Não é difícil sabermos quem nos trata com falsidade de quem nos considera alguém especial. Lamentavelmente por estarmos cegos da alma, não enxergamos e a tendência é iludirmo-nos.
Cremos que se algo não estiver bem, haverá diálogo, sinceridade enfim uma forma de agir que não fira os sentimentos alheios.
Uma coisa é certa... Colheremos um dia o que plantamos.

Denise Vieira Doro

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Meus netos

Meus netos
Dia 18 de junho de 2010

Arquivo do blog